segunda-feira, 19 de dezembro de 2011

A mídia e a publicidade são responsáveis pela busca de uma imagem padronizada de beleza?


ARTIGO DE OPINIÃO 2011

Beleza é fundamental ?

           
Corpo alinhado, sensação de bem-estar e beleza que vem com a saúde, manifestando-se nos cabelos, na pele e no olhar. Todo mundo quer tudo isso, embora a atenção e a disciplina necessárias tenham sido distribuídas, como tantas outras qualidades de forma desigual.
            Nosso corpo vive no século XXI, com automação generalizada, esguios padrões de beleza e prolongada expectativa de vida – o que também aumenta o tempo necessário para entupir arterias e oxidar o todo o resto. Mas nossa cabeça guarda os mecanismos que garantiram a sobrevivencia da espécie há centenas de milhares de anos, basicamente através da estocagem de gordura pensando nisso todos precisamos controlar a alimentação.
            Entre os mitos que a sociedade  impõe e a mídia em geral, todas as classes  sociais que acabam divulgando modelos de como as pessoas devem se vestir ou como devem ser físicamente para serem considerados “bonitos”, ou seja, divulgam um padrão estético de beleza.
            Da mesma forma que não é possível toda a população a parar de fumar, a jogar lixo na rua ou a gastar menos agua, a mídia também não tem o poder  de determinar como uma pessoa deve ser ou se apresentar.
            As coisas não são bem assim na realidade. Se a beleza fosse imprescindível para o amor, o que seriam todos os feios e feias que conhecemos? Como a beleza é menos frequente que a feiúra, podemos presumir que a maioria formada pelos feios dê valor à qualidade que lhes é ausente e, por essa razão haveria uma ponderável parcela de pessoas valorizando excessivamente, a beleza como qualidade importante na busca do parceiro.
            Vemos casais que nos chamam a atenção por serem díspares, enquanto um é muito bonito, o outro é bem ao contrário. É provável que isso se deva a um fenômeno bastante comum – a atração dos opostos.
            Na verdade, se pensarmos a beleza como característica desejada no parceiro que buscamos, deve vir numa posição não muito destacada, uma vez que existem muitas outras qualidades que são de fato fundamentais quando procuramos nosso companheiro de viagem pela vida. Honestidade, inteligência, capacidade de amar, diligência, generosidade e saúde são algumas das qualidades que valorizam uma pessoa mais que simplesmente a sua formosura. Daí a sabedoria popular afirmar “beleza não põe mesa”.
             Não resta a menor dúvida que a beleza abre portas, facilita um primeiro contato, cria uma impressão favorável e uma predisposição positiva nas pessoas, porque ela tende a ser vista como a expressão externa de algo interno, isto é, mostra-se como uma prévia de qualidades a serem percebidas posteriormente. Uma pessoa é boa e inteligente só porque é bela? Isso pode se tornar uma faca de dois gumes na medida em que se passa a esperar  um melhor desempenho e um leque de qualidades em uma pessoa apenas pelo fato de ela ser bonita.
            Então, o que torna uma pessoa bonita? Está na capacidade de cada indivíduo tirar partido dos aspectos positivos de sua aparência. Com isso o mais fundamental que ser bonito, é revelar uma atitude de amor, carinho e cuidado consigo mesmo. Isso pode ser percebido por sinais exteriores, por serem mais valiosos do que a beleza natural que acabam se confundindo com ela. O que acontece muitas vezes, é que uma pessoa se torna atraente e nos pareça bonita devido somente às suas outras qualidades.
             

Maria Yasuko M. de Oliveira

Um comentário:

  1. Maria, parabéns pelo blog e pelas excelentes produções postadas. Sua participação foi de grande importância. Abraços, Tamar e Virgínia.

    ResponderExcluir